spot_imgspot_img

Parto Domiciliar e os Riscos de Lesão por Anóxia

Parto Domiciliar e os Riscos de Lesão por Anóxia – O Brasil apresenta indicadores preocupantes em relação à atenção perinatal. O modelo obstétrico dispõe de elevados índices de parto cirúrgico (cesárea) e em taxas de mortalidade materna e neonatal ainda bastante altas, em relação aos encontrados em outros países com índices de desenvolvimento socioeconômico iguais ou inferiores aos nossos.

Parto Domiciliar e os Riscos de Lesão por Anóxia

Por este motivo, algumas mulheres têm optado por vivenciar a experiência do parto no ambiente domiciliar, uma prática reconhecida e já legitimada em países como o Canadá, a Holanda e a Austrália. Contudo, esta prática no Brasil, ainda representa uma modalidade de atenção ao parto relativamente prematura.

Na realidade, a discussão que envolve o parto domiciliar se dá por ele ser considerado, para a medicina contemporânea, um ato de retrocesso frente a tantos avanços e recursos de que a saúde dispõe, colocando em risco a saúde da mulher e do recém-nascido. Domiciliar e os Riscos de Lesão por Anóxia.

A Anóxia Perinatal

Quando avaliamos as causas de óbito neonatal, a anóxia, denominada também como “sufocação no recém-nascido”, encontra-se entre as principais causas em todos os países. Nos bebês sobreviventes, esta ocorrência deixa sequelas que podem ser graves, necessitando de cuidados especiais.

A ocorrência de anóxia em recém-nascidos prematuros está relacionada, em parte, à vulnerabilidade do cérebro imaturo ao ambiente extrauterino.

Entretanto, outros fatores podem estar envolvidos, levando à agressão por falta de oxigênio ou isquemia cerebral, antes ou durante o nascimento. Entre eles, estão as características da gravidez, trabalho de parto e procedimentos pós-natais imediatos. Domiciliar e os Riscos de Lesão por Anóxia.

Em relação aos indicadores de anóxia no recém-nascido, inicialmente, recorria-se ao intervalo de tempo entre o nascimento e a primeira respiração ou o primeiro choro.

Atualmente, dispomos de um escore de avaliação do estado do bebê, que propõe a observação de 5 parâmetros após 60 segundos do nascimento: frequência cardíaca, irritabilidade reflexa, tonicidade global, esforço respiratório e cor da pele. Domiciliar e os Riscos de Lesão por Anóxia.

A Lesão Cerebral por Anóxia

Parto Domiciliar e os Riscos de Lesão por Anóxia

A anóxia perinatal pode levar a manifestações neurológicas no período imediato ao nascimento, a encefalopatia hipóxico-isquêmica, ou posteriormente, com atraso no desenvolvimento neuromotor ou paralisia cerebral. Parto Domiciliar e os Riscos de Lesão por Anóxia.

As características mais frequentemente alteradas nos recém-nascidos anóxicos, no período de 24 a 48 horas, estão relacionadas a:
perturbações do sono, vigilância, choro, motilidade espontânea e provocada;
– resistência à abertura palpebral, manobra do cachecol, balanço das mãos e
sustentação cervical;
– sucção, deglutição, pontos cardeais e preensão palmar.

Pode haver também hipotonia global e hiporreflexia também global, mais acentuadas em membros superiores. Domiciliar e os Riscos de Lesão por Anóxia.

O Risco do Parto Domiciliar

Alguns fatores maternos e obstétricos podem favorecer uma alta proporção de anóxia neonatal. Entre eles, estão a ocorrência de pré-eclâmpsia, trabalho de parto por período superior a 12 horas, descolamento prematuro de placenta, período expulsivo após dilatação total do colo igual ou superior a 15 minutos e parto pélvico.

Os riscos do parto domiciliar são os mesmos daqueles no parto hospitalar. No entanto, é necessário que a equipe que vai atender o parto possua experiência e capacitações necessárias para identificar e atender as urgências, realizando a transferência para o hospital rapidamente, se necessário.

A prática do parto domiciliar não é recomendada pelos conselhos de medicina, pois a mulher e o bebê estão expostos a complicações que podem ser graves. Quando estas complicações ocorrem no parto hospitalar, médicos neonatais e obstetras dispõem de instrumentos e procedimentos para garantir a saúde de mãe e filho.

Mesmo quando o parto domiciliar começa e caminha bem, uma intercorrência pode acontecer a qualquer minuto. Por exemplo, se acontecer algo com o bebê no último segundo do parto, ele precisará ser socorrido rapidamente e nem sempre o tempo de transferência ao hospital é suficientemente rápido para evitar possíveis sequelas.

Essas intercorrências podem ser contornadas a tempo em hospitais e centros aparelhados, com a presença de profissionais capacitados.

Mais Informações na Internet
O Med9https://www.abctudo.com.br/
Tudo sobre Medicina. De uma forma fácil, prática e bem humorada! chega das chatices técnicas que todos os médicos na Internet usam!

Troca de Informações

Conteúdo Relacionado

Fique em Contato

140FãsCurtir
1,300SeguidoresSeguir

Últimos Artigos